Dica de livro infantil: livros sobre famílias e pais separados

Essa semana contei a história Famílias de A a Z no canal. Conheci esse livro, de Leila Pereira, editora Dimensão, quando pesquisava por histórias que tratassem de separação dos pais. Encontrei muitos livros legais (e aquele conflito: qual dessas histórias eu conto?!). A primeira escolhida foi o Famílias de A a Z porque além de falar de famílias de pais separados, engloba várias famílias em diversas composições e de todos os tipos. Pai, mãe e filhos. Pai, pai e filho. Mãe, vó, tias e filhos. Pais separados e meios-irmãos. Sem filhos. Filhos adotados, filhas que chegaram com ajuda da ciência. Família que se comunica por LIBRAS ou que enxerga apenas com o coração. São histórias de inclusão e diversidade. Dessa forma atingiria muito mais gente com uma mesma história.

Mas, ainda quero contar outras dessas histórias também e enquanto elas não chegam no canal, eu dou a dica dos livros pra vocês aqui:


É tudo família, das alemãs Alexandra Maxeiner e Anke Kuhl foi publicado no Brasil pela L&PM editores. Pela capa já dá pra sentir um pouco do que vem por aí: pai e mãe que se separam e e as novas composições que surgem a partir disso. Mas, assim como “Famílias de A a Z”, o livro também trata de tantas outras famílias, porém aprofunda um pouco mais as questões de algumas delas: os pais que não se dão bem e como ficam os filhos no meio disso tudo. Uma filha que não tem irmãos e, portanto, não precisa dividir nada com ninguém e tem tudo multiplicado por dois – o quarto na casa da mãe, o quarto na casa do pai. A bicicleta na casa da mãe, a bicicleta na casa do pai… e por aí vai. Os filhos cujo pai se casou novamente e a madrasta também tem uma filha do primeiro casamento e o vai e vem dessas crianças transitando entre as diferentes famílias que se formam desse “rolo” todo.

E aí eu posso falar de “rolo” porque eu também fui uma criança que viu os pais se separaram logo cedo, com um pai que casou com uma mulher que também tinha duas filhas e quando juntava todo mundo era aquela bagunça com quatro crianças: os seus, os meus… não teve “os nossos” porque eles pararam por aí hehe. Aí tem aquele sobrinho da madrasta que, em algum momento, por uma identificação mútua, decide-se chamar de primo, sem o ser. E aí vai explicar pros amigos que “na verdade ele não é meu primo, ele é sobrinho da mulher do meu pai…” e assim vai se formando o rolo. 🙂

O livro também fala de pais que adotaram filhos, famílias de duas mães, dois pais, só pai ou só mãe e etc. E também vai além ao falar de estilos de famílias: as que vivem na correria, as que são mais frias, as mais carinhosas, as que brigam muito, as que vivem na paz, etc. Tudo isso com desenhos esquemáticos pra tentar elucidar todas essas diferentes composições que, muitas vezes, se entrelaçam. Gostei tanto desse livro que agarrei na livraria no que o vi.

Paulina, de Maria Eugênia, da Editora Peirópolis, fala, de forma específica, sobre a separação dos pais pela ótica da criança. Dos sentimentos decorrentes da mudança que a separação traz, da tristeza e algumas perdas. Mas também mostra que a força e a alegria estão dentro de nós, no caso, dentro da Paulina. Um livro bem bonito pra ajudar as crianças nesses momentos que podem ser difíceis.

 

Por fim, o livro “O reino partido ao meio“, de Rosa Amanda Strausz, da Editora Companhia das Letras – selo Companhia das Letrinhas. Traz de forma lúdica, poética e linda a questão da separação dos pais. Um príncipe vê seu reino ser divido ao meio, de repente, por um dragão. Tudo fica pela metade, até o cachorro! Com o tempo todos aprendem a lidar com suas novas vidas – agora divididas – mas em que todos conseguiram ficar inteiros.

As ilustrações de Natália Colombo são maravilhosas. Ouso dizer que esse é o meu preferido.
*a foto eu retirei do site da própria editora

 

Famílias de A a Z tem na Livraria Cultura

Salvar

E se você não assistiu a história:

Salvar

Salvar

veja também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *