festa junina

Festa junina – Fafá conta sua origem e símbolos

Festa junina – Fafá conta sua origem e símbolos

Festa junina – uma festa dos santos?

Você já separou seu melhor figurino caipira, com muita chita e tecido xadrez?
Fez tranças no cabelo ou preparou o bigode pintado com lápis?
Já está sabendo todos os passos pra arrasar na quadrilha?
Pois então você está pronto pra se divertir na festa junina!

festa junina

Mas, espera!! Como surgiu essa festa? E por que se dança em volta da fogueira?

Ahaaa, eu sou a Fafá e umas curiosidades eu vou contar!

Junho já está chegando ao fim e o que esse mês tem de tão bom? As festas juninas, uma das minhas festas preferidas! Engana-se quem acha que o nome da festa é por causa do mês junho>>junina. Não, não, nada a ver!

Hoje em dia a festa junina celebra 3 santos católicos: Santo Antônio, no dia 13, São João, no dia 24, e São Pedro, no dia 29. O nome vem de festa Joanina, uma homenagem a São João Batista. Mas, como são homenageados os 3 santos, virou festa junina.

Porém, esses festejos começaram a ser celebrados muito antes, como uma festa pagã. Os europeus comemoravam o início do verão dançando em volta da fogueira. Verão é uma época boa pra colheita e clima ameno. Só uns bons anos depois é que a Igreja Católica tornou a festa cristã, sendo chamada de festa Joanina.

Quando os portugueses vieram para o Brasil, trouxeram essa tradição pro nosso país. Só que aqui é o início do inverno… época de fartura de milho. Por isso que sempre tem pamonha, milho verde e pipoca nas nossas festas juninas!

Dia 21 de junho também é uma data importante nessa época: é por volta desse dia que acontecem os solstícios de verão no hemisfério norte (ou seja, na Europa) e de inverno no hemisfério sul, consequentemente, aqui no Brasil. Solstício de verão significa que é o dia mais longo do ano. Logo, solstício de inverno é a noite mais longa do ano.

Elementos típicos

Festa Junina não é Festa Junina se não tiverem caipiras, uma boa fogueira, dança de quadrilha, deliciosos quitutes, balões (alôôô, nada de soltá-los, hein?), prendas nas brincadeiras e muitas, mas muitas bandeirinhas! Mas de onde surgiram essas tradições?

Roupas – pura formosura!

Por se tratar de uma festa rural, costumamos usar trajes caipiras. E, geralmente, é assim:
Meninas usam vestidos muitas vezes de chita, com um ou outro remendo, tranças nos cabelos, bochechas bem rosas com pintinhas como se fossem sardas.
Meninos usam camisa xadrez, calça jeans com retalhos e uma botina. No rosto um bigode pintado com lápis e um chapéu de palha na cabeça.

roupa caipira
Muita caipirice e formosura!

Quadrilha

Essa dança é de origem francesa: a quadrille. Nos bailes da corte, na Europa, se dançava em pares.
Um narrador vai comandando os movimentos da quadrilha e as palavras para que todos dancem coordenados.

As palavras de comando também vêm do francês:

balancer, em português ficou “balancê” – os casais balançam o corpo seguindo o ritmo da música.
en avant – em português falamos “anavan” – é o momento em que os pares vão pra frente balançando os braços.
en arrière – aportuguesado para “anarriê” – os casais vão para trás.
changer – pronuncia-se “changê” – hora de trocar os pares.

Balões

Eles costumavam ser lançados ao céu com mensagens e pedidos aos santos.  Hoje em dia soltar balão não tem nada a ver, além de ser proibido, porque pode provocar um incêndio! Então eles acabaram virando apenas artigo de decoração.

 

balão subindo
Contando uma história, de um balão de São João.

 

O balão vai subindo,
vai caindo a garoa!
O céu é tão lindo
e a noite é tão boa!
São João, São João!
Acende a fogueira
do meu coração.

 Fogueira

Ela já estava presente nas celebrações pagãs, mas ganhou uma explicação cristã: Santa Isabel (mãe de São João Batista) disse à Virgem Maria (mãe de Jesus) que, quando São João nascesse, acenderia uma fogueira para avisá-la. Maria viu as chamas de longe e foi visitar a criança recém-nascida.

Fogos de artifício

De origem chinesa, os fogos são utilizados para acordar São João, que, segundo a lenda, está dormindo no céu.

Capelinha de melão,
É de São João,
É de cravo, é de rosa,
É de manjericão.
São João está dormindo,
Não acorde não,
Acordai, acordai,
Acordai João.

caipira
Bandeirinhas até nos cabelos.

Bandeirinhas

De origem religiosa, as bandeiras costumavam ser fixadas com imagens dos santos para abençoar o local e quem estivesse na festa. Com o tempo, os santos deixaram de aparecer nas bandeiras, mas elas continuam lá, colorindo, enfeitando, trazendo alegria e abençoando essa festança!

Brincadeiras e prendas

Lembro de, na escola, sempre levar prendas (brinquedos e outros presentes) para as festas juninas. Vocês também? Essa parte diverte tanto crianças quanto adultos, não há quem resista a uma boa pescaria com peixes de madeira, plástico, tecido… – o material pouco importa – fincados, geralmente, em areia. Pescou, ganhou uma prenda! Que pode ser desde caixa de lápis de cor a um bom brinquedo! Tem também jogo de argolas, correio elegante e o clássico, e dificílimo de enfrentar, pau de sebo.

Os quitutes!

As comidinhas encontradas na maioria das festas aqui no Brasil são feitas de milho por causa da tradição indígena, como pipoca e pamonha. Também tem muito pinhão, canjica, doce de abóbora, bolo de fubá e pé de moleque.
As bebidas, por causa do inverno, são pra esquentar! Pinga, quentão e vinho quente. Mas essas são bebidas alcoólicas, então é só pros adultos, né? Criançada pode beber um bom suco de uva ou um chocolate quente.
Fotos: Murilo Lazarin – Lamenic – Evento: Arraiá do Muralzinho de Ideias no Bistrozinho
Fontes: Nexo, EBC e um tanto da minha memória.

Que tal bons livros?

Agora que vocês já sabem tudo sobre festa junina, além de se divertirem nas festas, que tal conhecer bons livros que contam histórias com temas relacionados? Aqui minha seleção especialmente pra vocês:

Ouça uma história!

Ano passado contei um causo de um dos caipiras mais famosos da nossa cultura popular: Pedro Malasartes. Confira:

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Inscreva-se e curta!

veja também